O que é PaaS (Platform as a Service)?

PaaS (Platform-as-a-Service, plataforma como serviço) é um modelo de computação em nuvem compatível com criação, teste, implantação e gerenciamento de aplicativos da Web.

O moderno cenário de TI para negócios é complexo. O fornecimento de soluções de TI confiáveis para usuários internos e externos exige recursos extensivos de hardware, software e computação, muitas vezes além do que a maioria das organizações pode arcar no âmbito local. A computação em nuvem fornece uma solução. Ao alugar serviços e soluções de TI por meio de provedores de terceiros, as empresas podem aproveitar as vantagens da computação avançada sem precisar criar e manter a infraestrutura necessária.

Juntamente com IaaS (infraestrutura como serviço) e SaaS (software como serviço), a PaaS (plataforma como serviço) é um dos três principais modelos de computação em nuvem.

Os diferentes modelos de computação em nuvem são definidos por quanto cada opção tem a oferecer. Projetado para dar suporte e aprimorar os recursos de TI de uma organização, cada modelo pode ser considerado como um nível diferente de serviço: a IaaS fornece suporte e recursos mais limitados, enquanto o SaaS fornece um conjunto de serviços muito mais abrangente. A IaaS fica entre as duas. Diferentes modelos de computação também atendem a diferentes requisitos de negócios.

Aqui, examinamos cada opção mais de perto, incluindo a opção de não usar a computação em nuvem:

SaaS x PaaS x IaaS

No local

A computação no local (também chamada interna) é uma abordagem à infraestrutura de TI na qual o indivíduo ou a organização assume total responsabilidade por todo o hardware e software, incluindo financiamento, instalação, gerenciamento, atualização e substituição de cada componente. Além disso, o gerenciamento de escalonamento, funções, configuração, segurança e quaisquer outros aspectos da TI também cabe à empresa. Por outro lado, não há limitações impostas sobre o que a organização pode fazer com a própria TI, e ela sempre tem acesso irrestrito aos próprios dados.

A computação interna representa o mais alto nível de responsabilidade, bem como a abordagem mais completa da liberdade de dados. Ela também exige uma quantidade significativa de tempo, esforço e custos operacionais para gerenciar com eficiência todos os vários aspectos da infraestrutura de TI. A computação em nuvem existe para liberar o foco e os recursos essenciais, permitindo que as empresas terceirizem os principais serviços e recursos para provedores de terceiros com base em pagamento conforme o uso.

IaaS

A IaaS (às vezes também chamada de hardware como serviço) assume algumas responsabilidades importantes da organização. Serviços de infraestrutura, como armazenamento, virtualização, servidores e rede, podem ser alugados conforme necessário e os fornecedores cobram das organizações clientes por meio de um modelo de pagamento sob demanda. O usuário ainda é responsável por outros aspectos da infraestrutura de TI, como sistemas operacionais, aplicativos, tempos de execução, middleware e dados. Os clientes podem executar os sistemas e aplicativos necessários, enquanto o fornecedor mantém o hardware físico.

PaaS

A PaaS aumenta significativamente o número de recursos de TI que podem ser terceirizados. Além daqueles oferecidos pelos modelos IaaS, a PaaS oferece suporte a tempo de execução, sistema operacional e middleware. Ainda não se trata de uma solução de nuvem completa. O cliente assume a responsabilidade por seus próprios dados e aplicativos.

A PaaS é mais vantajosa na simplificação dos recursos necessários para codificar, criar e gerenciar aplicativos personalizados. Os desenvolvedores e programadores geralmente dependem de soluções PaaS para fornecer um ambiente pronto para o desenvolvimento de aplicativos. Usando componentes de software integrados e sem precisar se preocupar com atualizações ou manutenção de hardware, as organizações podem criar estruturas e aplicativos da Web personalizados. Isso reduz significativamente a quantidade de código que os desenvolvedores internos devem escrever, permitindo que eles gerenciem o tempo disponível com mais eficiência.

SaaS

O modelo de computação em nuvem mais abrangente, o SaaS lida essencialmente com todas as partes da infraestrutura de TI. Em resumo, o SaaS oferece um aplicativo completo para o cliente na nuvem. Isso inclui assumir total responsabilidade por dados, tempo de execução, sistemas operacionais, middleware, virtualização, armazenamento, servidores e rede. O provedor também lida com atualizações e manutenção geral e o usuário só precisa se conectar ao aplicativo usando um navegador da Web, um painel ou uma API.

Como mencionado anteriormente, diferentes modelos de computação em nuvem são mais adequados para diferentes casos de uso. A PaaS é fácil de executar sem conhecimento detalhado de administração do sistema, pode ser acessada por vários usuários e é extremamente dimensionável. E, como ela é baseada na tecnologia de virtualização, elimina a necessidade de um gerenciamento de hardware presencial caro. Isso a torna uma solução ideal para atender às necessidades de negócios em vários cenários:

Desenvolvimento de aplicativos

Provavelmente, o caso de uso mais amplamente reconhecido para PaaS é o desenvolvimento de aplicativos. A PaaS fornece uma estrutura completa que os desenvolvedores podem usar para criar aplicativos em nuvem, tanto para usuários internos quanto externos. A PaaS geralmente é apresentada como uma solução de desenvolvimento sem codificação ou de baixa codificação, em que aqueles com experiência limitada ou sem experiência de codificação podem montar componentes pré-criados para criar programas de software eficazes.

Automação de processos

Indo além do desenvolvimento de aplicativos, as soluções PaaS também possibilitam que as organizações automatizem processos de negócios completos. Ao empregar soluções PaaS para criar fluxos de trabalho digitais eficazes personalizados de acordo com as necessidades da organização, as empresas podem automatizar aprovações, notificações e operações de registro, tudo isso sem codificação detalhada.

Análise

Trabalhando em uma plataforma PaaS, as organizações obtêm uma visão mais clara e detalhada dos próprios dados. Elas podem identificar tendências, prever resultados com mais precisão e fundamentar importantes decisões de negócios. As ferramentas de análise integradas garantem que nenhum dado essencial fique por analisar, que gargalos sejam identificados e que nenhuma oportunidade de melhoria seja perdida.

Embora a definição básica de PaaS permaneça consistente, há dois tipos diferentes de PaaS a serem conhecidos.

PaaS pública

A forma mais comum, a PaaS pública fornece serviços a clientes pagadores. Esses serviços, soluções e ferramentas podem ser acessados pela Internet. Fornecendo middleware e outros recursos, a PaaS pública permite que as empresas criem aplicativos e processos sem precisar gerenciar a infraestrutura necessária.

PaaS corporativa

Embora, em sua essência, a computação em nuvem dependa de fornecedores externos para fornecer a infraestrutura necessária, a PaaS corporativa usa uma abordagem interna. Usando servidores, redes e middleware próprios para fornecer ferramentas e recursos de aplicativos, as empresas que empregam PaaS corporativa mantêm um controle mais rigoroso sobre a segurança dos dados. No entanto, elas também absorvem os custos e as responsabilidades de gerenciar toda a infraestrutura de TI.

Há vários benefícios claros no uso de um modelo de computação em nuvem de PaaS de terceiros. Essas vantagens incluem o seguinte:

Custos reduzidos

O modelo tradicional de computação em nuvem de pagamento conforme o uso pode significar uma economia significativa para as empresas. Em vez de precisar cobrir todas as despesas associadas à instalação, manutenção e gerenciamento de servidores no local, as organizações podem pagar apenas pelos serviços necessários. Além disso, à medida que as necessidades mudam e a organização cresce, a PaaS pode facilmente ser dimensionada com ela. Isso libera custos, tempo e talentos, que podem ser reinvestidos em outras prioridades.

Benefícios da PaaS

Mais velocidade no desenvolvimento de aplicativos

Seja correndo para atender às expectativas do cliente ou tentando articular os recursos comerciais internos em resposta a uma situação emergente, não há nenhuma desvantagem em uma implantação mais rápida de aplicativos. Ao lidar com grande parte do trabalho de desenvolvimento de software, novos aplicativos e produtos podem ser criados, testados e implantados em uma fração do tempo necessário para soluções e ferramentas tradicionais no local.

Integração em várias plataformas

Os fornecedores de nuvem PaaS dependem da própria capacidade de ajudar as organizações a criar aplicativos acessíveis. Como tal, a maioria dos fornecedores inclui ferramentas para desenvolver aplicativos em todas as plataformas. Em vez de ter que criar e treinar equipes de desenvolvimento para dispositivos móveis, desktop, tablet etc., as empresas podem criar uma única solução de software que depois pode viver e trabalhar em qualquer plataforma que o usuário preferir.

Apesar das vantagens oferecidas pela PaaS, determinadas organizações podem achar que não é a escolha certa para atender às suas necessidades. Considere as seguintes possíveis desvantagens da PaaS:

Menos controle de segurança

A maioria dos provedores de nuvem entende que seu próprio sucesso contínuo depende da capacidade de proteger os dados confidenciais dos clientes. Ainda assim, permanece o fato de que, quando uma organização depende de fornecedores de nuvem, elas abrem mão de um certo controle sobre a segurança dos dados. Empresas com padrões rígidos de segurança podem achar que alguns provedores de nuvem não atendem aos requisitos. Dito isso, a maioria dos fornecedores de nuvem emprega medidas de segurança mais rígidas e eficazes do que as empresas às quais atendem.

Alinhamento de infraestrutura difícil

Os serviços em nuvem precisam ser capazes de funcionar com eficiência com a infraestrutura organizacional existente. Infelizmente, com a existência de sistemas legados e a ampla variedade de projetos de infraestrutura de TI sobre os quais uma empresa pode ser construída, nem sempre é possível uma fácil integração na nuvem. Fazer as alterações necessárias para facilitar o alinhamento da infraestrutura pode ser proibitivamente caro.

Tempo de inatividade inesperado

Indisponibilidade de energia, problemas de manutenção, invasões ou outros eventos emergentes podem interromper o acesso a provedores de terceiros. As empresas que dependem desses fornecedores têm pouco controle sobre o tempo de inatividade inesperado, mas podem sofrer as consequências à medida que ferramentas essenciais ficam indisponíveis.

Como começar na Now Platform

Ofereça fluxos de trabalho digitais entre empresas que conectem pessoas, funções e sistemas para acelerar a inovação, aumentar a agilidade e aprimorar a produtividade.