O que é ESG (Environmental, Social, and Governance)?

O ESG (Environmental, Social, Governance) trata de impulsionar o crescimento dos negócios e, ao mesmo tempo, construir um futuro mais sustentável, equitativo e ético para o mundo.

Os fatores ambientais, sociais e de governança são três dos principais fatores para medir a sustentabilidade, a ética e o impacto social de uma empresa. Os fatores ESG não são necessariamente financeiros, mas ainda assim desempenham um papel significativo no risco de longo prazo de uma empresa e seu ROI. Em poucas palavras, as empresas que incorporam os fatores ESG são menos arriscadas e mais propensas a serem bem-sucedidas.

Ambiental

À medida que as realidades das mudanças climáticas e outras questões ecológicas que podem alterar o mundo se tornam cada vez mais documentadas, o compromisso de uma empresa com a sustentabilidade torna-se mais importante. Os fatores ambientais no ESG referem-se ao impacto que uma organização pode ter sobre resíduos, poluição, esgotamento de recursos, emissão de gases do efeito estufa, mudanças climáticas e desmatamento.

Social

Uma empresa é mais do que seus produtos, serviços ou logotipo, é um conjunto de pessoas trabalhando em prol de objetivos comuns. Assim sendo, o modo como uma empresa trata seus funcionários e se ela cumpre os padrões estabelecidos de saúde, segurança e contratação podem ajudar os investidores a avaliar sua qualidade e risco gerais. O fator social no ESG incorpora relações com funcionários, comunidades locais, saúde, segurança, conflitos e diversidade.

Governança

No centro do ESG está a ideia de que as empresas precisam assumir a responsabilidade pelo tipo de impacto que elas causam. A governança é um fator essencial nesse processo, examinando o modo como uma organização se administra. A governança se concentra em questões como remuneração executiva, doações, lobby político, estratégia fiscal, diversidade do conselho, estrutura, corrupção e suborno. A governança adequada ajuda a alinhar os problemas entre as partes interessadas em diferentes níveis, apoiar o crescimento contínuo e a estratégia de longo prazo.

Environmental Social Governance

Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável das Nações Unidas são 15 metas definidas pelos estados-membros das Nações Unidas, que proporcionam uma série de objetivos destinados a ajudar a criar paz e prosperidade para os povos do planeta. Não importa o tamanho dos negócios e independentemente do setor, todas as empresas podem contribuir para os SDGs.

Quando as empresas fazem negócios de forma responsável e buscam oportunidades para resolver desafios sociais, elas podem oferecer soluções para questões que vão desde a crise climática até a pobreza, a desigualdade e a fome. Essa inovação do setor privado é um mercado em crescimento, e os benefícios para os consumidores e o planeta são imensuráveis quando uma empresa opta por se comportar de forma responsável e promover práticas ambientais e sociais positivas.

Por que o ESG é bom para os negócios?

Uma pesquisa de 2019 com mais de 1.000 CEOs de todo o mundo pelo Pacto Global das Nações Unidas descobriu que 87% "acreditam que os SDGs oferecem uma oportunidade de repensar as abordagens para a criação de valor sustentável". 70% desses CEOs "veem os SDGs fornecendo uma estrutura clara para estruturar os esforços de sustentabilidade".

O ESG pode ser uma filosofia de investimento e uma série de valores essenciais. Empresas sustentáveis tendem a ser construtores de lucros e de sociedade, pois o ESG é um investimento em crescimento responsável.

Uma nova visão dos critérios de ESG

Do ponto de vista do investidor, a desvantagem mais óbvia do ESG seria que ele parece representar limitações no que as empresas podem investir, limitando assim também o lucro potencial de um investidor. Há pouco tempo, os investidores não-ESG tinham uma seleção mais ampla de oportunidades de investimento e, muitas vezes, viram retornos muito maiores investindo em empresas que poderiam operar sem ser prejudicadas pela autoanálise ambiental, social ou de governança.

Mas o jogo está começando a virar, e os prós para a adesão aos critérios de ESG estão se tornando mais aparentes. Fora das preocupações práticas e éticas, os critérios de ESG podem ajudar as empresas a evitar fatores de risco ou danos à reputação que surgem devido a práticas que não se enquadram nos critérios práticos de ESG. Por exemplo, as organizações que aderirem aos padrões sociais de ESG têm menos probabilidade de se envolverem em escândalos associados a processos antiéticos de contratação ou gerenciamento. As empresas que mudam seu foco para as práticas voltadas para ESG podem ganhar mais impulso, já que as empresas de investimento estão começando a ver o ESG como uma indicação de baixo risco.

O investimento em ESG está em alta

Nos próximos anos, há indicações claras de que as empresas começarão a enfrentar uma maior fiscalização de governos, clientes e investidores. Aqueles que não promovem os padrões de ESG provavelmente enfrentarão penalidades, não apenas em termos de regulamentação governamental, mas também em relação à rejeição de consumidores e investidores. Em outras palavras, à medida que os valores públicos e governamentais mudam para dar maior ênfase à sustentabilidade e à responsabilidade social nos negócios, o ESG se torna cada vez mais relevante em todos os setores.

Investimentos em ESG reduzem riscos

É importante observar que há duas categorias diferentes de risco a serem consideradas ao discutir ESG: o risco direto (mudanças climáticas e outras considerações ambientais) e o risco indireto (reputação da marca, lealdade do investidor etc.). Com isso em mente, os principais riscos de investimento para cada fator ESG são os seguintes:

Ambiental

As mudanças climáticas e outras questões ambientais estão aumentando. E se essas questões não forem abordadas em escala global em breve, poderemos testemunhar sérias ramificações para governos, economias e até mesmo empresas operadas individualmente. As organizações que se esforçam para ser ambientalmente responsáveis podem ser mais capazes de superar esses desafios, oferecendo aos investidores maior estabilidade.

Social

Não é segredo que funcionários felizes, satisfeitos e engajados colaboram para aumentar o sucesso dos negócios. O inverso também é verdade: funcionários insatisfeitos têm muito mais probabilidade de apresentar um desempenho inferior, prejudicando os resultados financeiros da empresa. Mas a satisfação do funcionário vai além do escritório. As empresas que seguem padrões elevados na forma como tratam e apoiam seus funcionários terão mais facilidade para manter os melhores talentos, e esses funcionários terão maior probabilidade de se tornarem embaixadores da marca, mesmo quando não estiverem trabalhando. Juntando tudo, isso torna essas empresas um investimento de menor risco.

Governança

A governança detalha o trabalho interno do próprio negócio. Altos padrões de governança ajudam a garantir que os negócios em questão não estejam envolvidos em nenhuma prática ilegal, um sinal de alerta óbvio para os investidores. Mas mais do que isso, a governança promove processos financeiros precisos e transparentes. Ela atribuiu direitos aos acionistas. Isso ajuda a eliminar os riscos associados a conflitos de interesse. Essencialmente, existe a garantia de práticas éticas em todos os níveis, protegendo a empresa e aqueles que investem nela contra penalidades e riscos associados à má gestão.

Uma coisa importante a ser lembrada é que o ESG não é um problema separado, independente e de nicho; ele tem efeitos fundamentais na sua abordagem para fazer negócios (ou seja, criar produtos para serem reciclados, projetar processos que possam ser monitorados quanto à conformidade com metas internas e externas etc.). Juntos, eles estão ajudando a criar estruturas para abordar com eficiência esses problemas usando um sistema composto por pessoas, processos e tecnologia trabalhando entre si para ajudar as empresas a incorporar o ESG de forma eficaz como um componente essencial dos programas gerais de estratégia, risco e governança. E isso significa risco reduzido para os investidores.

A ServiceNow entende que criar um mundo mais justo, ético e sustentável é uma responsabilidade que todos compartilham. Com isso como foco principal, a ServiceNow se dedica a ajudar funcionários, clientes e comunidades a mudar o mundo para melhor. Queremos não apenas causar um impacto positivo, queremos ajudar os outros a ter um impacto positivo.

E nossa dedicação é mais do que só falar da boca para fora. A ServiceNow apoia os funcionários ao doarem seu tempo, talento e recursos. Por meio de doações de funcionários apoiadas pela ServiceNow Matching, geramos mais de US$ 5 milhões em impacto social positivo e apoiamos mais de 2.500 causas beneficentes.

A ServiceNow também está reavaliando o impacto ambiental e encontrando maneiras de priorizar a energia limpa e reduzir a intensidade do carbono e as emissões gerais. Com esse objetivo, criamos cadeias de suprimento sustentáveis, desenvolvemos um processo de trabalho para reutilizar e reciclar equipamentos de TI e datacenter corporativos descontinuados e sempre priorizamos edifícios certificados pela LEED (ou equivalente local) em todo o nosso espaço de escritório alugado.

E, como melhorar o mundo requer mais do que apenas doações e sustentabilidade, a ServiceNow também se dedica a melhorar e capacitar indivíduos. Nossos programas de alfabetização digital estão dando à força de trabalho digital do futuro as habilidades e os recursos necessários para prosperar e continuar a fazer mudanças positivas por décadas.

Saiba mais sobre a ServiceNow e o ESG e vamos trabalhar juntos para fazer a coisa certa.

Fluxos de trabalho para um mundo melhor com ESG

Os fluxos de trabalho não apenas transformam o trabalho. Eles reúnem o poder das pessoas e da tecnologia para proporcionar melhores resultados. Um local de trabalho mais seguro. Um planeta mais limpo. Uma sociedade mais justa.